Televendas: (11) 2388-8200

Precisa de ajuda? Buscar
Bag
Bag

Outubro Rosa: #PapodeAmiga com Flávia Paiola Não precisamos ser fortes o tempo todo

30 Out

Hoje chegamos ao fim da nossa campanha Outubro Rosa, em que incentivamos o diálogo como forma de potencializar a prevenção do câncer de mama. E, para fechar esse mês cheio de aprendizados, lançamos nosso terceiro episódio da série #PapoDeAmiga.

Criamos uma série documental no IGTV (Instagram TV) para contar histórias de

mulheres que estão enfrentando ou já se curaram desse câncer, compartilhando suas

experiências para que possamos entender melhor o assunto, saber como nos prevenir

e apoiar ativamente nossas amigas. Quando damos voz a essas mulheres, estamos

naturalizando esse tema tão importante e criando uma rede de apoio bem

informada contra uma das doenças que mais atinge mulheres no Brasil e no

Mundo.

Hoje com 39 anos, Flávia Paiola descobriu o câncer de mama aos 37, ao sentir uma coceira no peito. Como têm muitos casos em sua família, imediatamente foi ao médico, detectou a doença e iniciou a quimioterapia. Aprendemos com ela sobre a necessidade não apenas da prevenção, mas da detecção precoce, pois em casos genéticos, muitas vezes não há como impedir a doença, mas existe sim tratamento e cura. Já falamos aqui, mas não custa relembrar: até 95% dos casos de câncer de mama tem cura se descobertos no estágio inicial. E o que impede essa detecção precoce? Temor e desinformação. Ou seja, temos o poder de mudança em nossas mãos e vamos transformar essa realidade que tira a vida de tantas mulheres.


A Flávia nos contou também sobre a potência transformadora que existe em assumir as dores e os medos que surgem durante o tratamento, como forma de se fortalecer. Nos ensinando a importância de abrirmos espaço para que nossas amigas mostrem suas fraquezas e possam sair da difícil posição de ter que ser uma mulher “forte e guerreira” o tempo todo. A partir do momento que podem expressar esses sentimentos, elas ficam mais aptas a enfrentá-los e a buscar um verdadeiro acolhimento, melhorando seu estado emocional e sua qualidade de vida.


Quando planejamos essa websérie, não imaginávamos que encontraríamos tanta leveza nos encontros com essas quatro mulheres que enfrentaram ou ainda enfrentam o câncer de mama. Percebemos que, muitas vezes, colocamos as mulheres com essa doença em uma posição que é apenas um estereótipo que precisa ser desmistificado. Precisamos lembrar que cada uma é uma mulher inteira, com as mesmas necessidades de atenção e cuidado de qualquer uma de nós, porque só assim conseguiremos apoiá-las ativamente e cuidarmos da nossa saúde cada vez mais.


Em nossos #PaposDeAmiga elas mostraram tanta sabedoria, força e vida, que aprendemos muito mais sobre viver e nos amar do que qualquer outra coisa. Afinal, a gente cuida do que a gente ama, não é mesmo? Foi incrível conhecer a visão de cada uma, tão diferente da outra, mas todas com mensagens cheias de afeto e de informação. Hoje queremos agradecer a todas vocês que nos acompanharam e também às maravilhosas Flávia Flores, Tatiana Sabino e Flávia Paiola, por compartilharem tanto amor e nos ajudar a criar um time de amigas com mais consciência, coragem e papos importantes.


Que essa naturalização do assunto e nossa busca por informações continuem o ano inteiro, que cada vez mais nossos papos com nossas amigas abordem assuntos de todas as naturezas, desde os mais triviais aos mais sérios e que a gente nunca esqueça que em nossas semelhantes encontramos um ambiente seguro para enfrentar qualquer desafio

Dá o play e vamos fechar esse Outubro Rosa juntas no #PapoDeAmiga com a inspiradora Flávia Paiola:


*Conhecer seu corpo é muito importante mas não substitui o diálogo com seu médico, visite regularmente um ginecologista e faça seus exames.

*Os números e estatísticas apresentados neste texto foram retirados do site do Ministério da Saúde, mais especificamente do Instituto Nacional de Câncer (INCA), 2019.


você também vai gostar